A raça humana é tão egocêntrica que criou um grupo parafilético exclusivo só pra ela, só para que ela se sentisse especial.

Parafilético é um taxon formado por todos os organismos descendentes de um mesmo ancestral com exceção de algum(s). Cladisticamente o mais correto seria a não exclusão de nenhuma espécie para que uma futura análise evolutiva ocorresse perfeitamente – ou seja, um grupo monofilético. Porém, nós – que quase que injustamente fomos quem criamos a Classificação das Espécies – resolvemos nos excluir de nossos coleguinhas que evolutivamente pertencem ao mesmo táxon que nós e criamos os Hominidae. Lindo, brilhante!

Chega, né? Você já pode parar de se sentir especial. Se pertencemos a um grupo diferente dos nossos primos Pongidae (gorilas, chimpanzés e orangotangos), é porque quem fez essa definição fomos nós – e, céus, se Galileu foi condenado por dizer que a Terra não era o centro do universo, imagine quem dissesse que nós e os chimpanzés pertencemos ao mesmo grupo! – “primatas superiores”.

Mas nós somos tão diferentes! Somos inteligentes, não temos tantos pêlos, não andamos com as mãos e nem temos cara de macaco! Tranquilo. Imagine o complexo da galinha ao saber que o jacaré que comeu o pintinho dela descende de seu mesmo ancestral? Pois é leitores, aves e répteis pertencem ao mesmo táxon, descendem de um mesmo ancestral – mais uma classificação equivocada de livro de ciências da sexta série. Por isso eu não vejo a menos graça em gorilas servindo de atração em circos.

Está na hora de pararmos de nos referir aos outros de nós como “Os animais” como se nós mesmos não o fossemos também! Se querem chamá-los de animais, que assim o façam, mas usem “Os outros animais” como forma de expressão, pois se não somos animais, o que somos?!

Como disse uma vez um certo professor de um mestrado em Bioquímica; “Nada mais somos que um conjunto de proteínas ambulante” – eu lhes digo; não somos especiais porque somos humanos, apenas a capacidade de pensar nos forneceu uma vantagem evolutiva absurda sobre as demais espécies, e só. Essa capacidade de pensar nos permitiu construir ferramentas que destroem nosso meio e matam a vida ao nosso redor, pensando dessa forma, nós não somos melhores ou superiores aos outros animais, pelo contrário, somos idiotas e primitivos. Nós queimamos nossos habitats e construímos outros de tijolos em cima, pra queimar-los depois com a fumaça de nossos carros, e extinguimos espécies que lutam pela sobrevivência e ainda cumprem com seus papéis na cadeia da vida! Que espécie egoísta e repugnante nos tornamos!

Amigos, nós somos animais como todos os outros. Nós pensamos, e justamente por isso deveríamos ter a consciência de preservação que os outros tem por instinto, do contrário vamos continuar caminhando para nossa própria extinção, pois quando nosso meio estiver destruído por completo, não teremos mais de onde tirar nosso alimento, teremos acabado com tudo o que Gaia levou bilhões de anos pra formar, e não terá mais volta.

Se somos egoístas ao ponto de não podermos amar os outros animais como amamos uns aos outros, mesmo sendo conscientes, inteligentes e pensantes, ao menos reconheçamos que somos como eles, sem qualquer coisa em especial.

Anúncios